16/07/2006 a 22/07/2006
  09/07/2006 a 15/07/2006
  02/07/2006 a 08/07/2006


 

   

   




 
 
...assim eu caminho...



Dia do Amigo

PESSOAS SÃO SEMPRE PRESENTES!

Algumas tem um embrulho bonito, como os presentes de Natal, Páscoa ou Aniversário.
 
Outras vêm em embalagens comuns, como aquelas de embrulhar pão, e há também aquelas que chegam bem empacotadas, mas machucadas pelo correio.
 
De vez em quando, chega um pacote registrado. São os presentes valiosos, mas que nem por isso chegam embrulhados em papel de seda com fitas prateadas.
 
O curioso é que algumas pessoas trazem "invólucros", enquanto outras surgem em embalagens dificílimas, quase impossíveis de serem desembrulhadas. É fita durex que não acaba mais, parecem que não querem sair do pacote....
 
Porque será que alguns presentes são tão complicados de abrir? Talvez porque dentro da bonita embalagem haja muito pouco valor.
 
Mas a embalagem não é o presente, e nem sempre indica o que tem dentro. Há sempre uma surpresa debaixo do papel. Acontece que tanta gente se engana, confundindo embrulho com conteúdo.
 
Também você, como eu, somos um presente para os outros. Você pra mim eu pra você.
 
Triste seria se  nós fossemos apenas embalagem de presente bem guardado, com nada lá dentro.
 
Porque quando existe verdadeiro encontro com alguém, no diálogo, na amizade, no amor, deixamos de ser mera embalagem e passamos a categoria de verdadeiros presentes.
 
Nestas ocasiões acontecem coisas muito comoventes e essenciais.
 
Mutuamente, as pessoas vão se desembrulhando, se desempacotando e se revelando.
 
Você já experimentou essa alegria? É prazer profundo, que vem da alma, quando duas pessoas se abrem virando presente uma para a outra.
 
Ser conteúdo é o segredo para quem deseja tornar-se "presente" e não apenas embalagem.
 
Por tudo isso, seja pessoa, e não apenas embalagem bonita, lembrando que:
 
UM AMIGO É SEMPRE UM PRESENTE DE DEUS

Escrito por você sabe quem ?s 11h14
[   ] [ envie esta mensagem ]




A beleza da dúvida!

Escolher faz parte do nosso cotidiano, mas o que mais aflige o homem é a dúvida de não saber o que poderia ter vivido se virasse a direita ao invés da esquerda, se fosse a padaria e não ao mercado, se escolhesse o atalho ao caminho longo...
O que te espera nestas duas possibilidades? Nunca saberemos...
Quando seguimos por um caminho, automaticamente cancelamos a possibilidade do outro.
Vejo a vida como um grande "teste alternativo", onde possibilidades de acertos e erros são colocados à prova e ali na hora temos que decidir...
E temos que decidir mesmo, porque não podemos ficar parados pensando e pensando, não temos este tempo, não nos é dado este tempo... Aí fica a dúvida da certeza, seguimos firme pelo caminho escolhido, mas a pergunta é: até quando? Até quando vamos continuar seguindo sem sequer pensarmos na possibilidade do outro, de como teria sido e o que teria acontecido!
A beleza da vida está na encruzilhada da dúvida, nunca saberemos o que deixamos para trás e se um dia voltarmos nada será igual, pois cada vez que um homem volta a um rio, ele já não é o mesmo homem assim como não é o mesmo rio. O tempo passa e o espaço se modifica, e o que ficou pra trás hoje se modificou...



Escrito por você sabe quem ?s 18h16
[   ] [ envie esta mensagem ]






Escrito por você sabe quem ?s 17h26
[   ] [ envie esta mensagem ]






Escrito por eu ?s 16h16
[   ] [ envie esta mensagem ]




Acordei um pouco triste, se pudesse não sairia da cama, não deixaria de sonhar e de idealizar a vida como eu queria que fosse... às vezes é preciso fugir deste mundo e uma das maneiras é através do sonho... às vezes eles me assutam, mas mesmo assim ainda prefiro os pesadelos assustadores à vida real!

Viver na fantasia do sonho é reviver momentos especiais, nele é o meu refúgio!

Como hoje tive coragem de me levantar, tenho que encarar o que agora me consome!!!
Ouvi esta música um dia destes, e uma parte me "tocou". Fiquei pensando, refleti durante um tempo e entendi que quando vivemos algo marcante, demora a passar, mas passa, e mesmo passando ainda ficamos com uma pequena porção daquilo que foi bom, então não importa o que fazemos, sempre nos lembraremos daquilo que um dia nos fizeram felizes...

Acredito que homens e mulheres são seres humanos iguais, que sentem, choram e se arrependem igualmente, o que modifica nesta guerra dos sexos é a maneira como refletem isso, como exteriorizam. Por isso tenho certeza de que se em mim ficou alguma coisa, na outra pessoa tbm ficou e quando nos encontrarmos, esta pequena parcela de sentimento bom, aquela que ficou quietinha, escondidinha, abafada por outros acontecimentos, tornam a surgir... Nunca nos esqueceremos que um dia aquela pessoa nos fez ver um mundo diferente.



Escrito por adukamina ?s 14h35
[   ] [ envie esta mensagem ]




Agora vim pra ficar... será?
Tentando e tentando, vamos ver se desta vez eu não desisto no meio do caminho. Mas tenho uma vantagem, aqui, neste ambiente, posso desistir, excluir e criar novamente, quantas vezes forem necessárias, o que geralmente não acontece com algumas outras coisas da vida!!!
Realmente seria difícil se a nossa vida viesse acompanhada pelo famoso "ctrl+Z", imagine só quantos caminhos deveriam ser refeitos a cada passo desfeito de uma pessoa? Já diz a teoria do caos "O bater de asas de uma borboleta pode causar um tufão no outro lado do mundo"...
Mas viagens à parte, vamos ao estopim do dia. Hoje escolhi uma obra que expressa muito bem o sentimento de hoje: O Grito de Edvard Munch

Não sei ao certo se este é o original, visto que o nosso amigo Munch pintou umas 50 vezes este quadro até obter um resultado, na visão dele, satisfatório.
É, o expressionismo de Munch mostra a sua angustia interior, o seu grito de desespero e não só em seu personagem principal, mas em toda a sua obra, que parece movimentar-se com este som, interligando homem-interior com o homem-exterior e todo o seu impacto no mundo que o cerca.
O importante, para ele, era pintar um sentimento e não um personagem ou uma paisagem... vivendo neste mar de dor, medo, paixão, arrependimento que ele mostrou sua genialidade e é exatamente nesta obra que eu me identifico.

Fechamos hoje com esta excelente manisfestação expressionista.



Escrito por adukamina ?s 18h13
[   ] [ envie esta mensagem ]





[ ver mensagens anteriores ]